sábado, 11 de janeiro de 2014

Há 48 anos, Sarney discursava contra a miséria no Maranhão

Há 48 anos, Sarney discursava contra a miséria no Maranhão

  • Glauber Rocha filmou o então governador no dia de sua posse



José Sarney discursa ao ser empossado em 1966
Foto: “Maranhão 66” / Reprodução

José Sarney discursa ao ser empossado em 1966 “Maranhão 66” / Reprodução
RIO — A miséria no Maranhão foi alvo de crítica de José Sarney em 1966, durante sua posse como governador pela UDN/Arena. A solenidade, marcada pelo início do domínio político da família no estado e pela denúncia de problemas existentes até hoje, foi documentada pelo cineasta Glauber Rocha, morto em 1981. (Assista aqui ao curta)
Em pouco mais de dez minutos, enquanto Sarney fala a milhares de pessoas em praça pública, imagens dos problemas sociais do Maranhão são exibidos. Glauber filmou a posse a convite de Sarney.

— O Maranhão não suportava mais nem queria o contraste de suas terras férteis, de seus vales úmidos, seus babaçuais ondulantes e suas fabulosas riquezas potenciais, com a miséria, com a angústia, com a fome, com o desespero — diz Sarney.“Maranhão 66”, lançado à época em sessão especial no Cinema Paissandu, no Rio, mostrou hospitais sem condição de atendimento, trabalho infantil e presos em situação precária. E Sarney prometeu mudanças.
No início do filme, Sarney é saudado: “Sarney, Sarney!”, gritam milhares de pessoas. Enquanto a câmera passeia por um hospital em péssimas condições, ouve-se a voz do novo governante:
— O Maranhão não quer a miséria, a fome, o analfabetismo, as mais altas taxas de mortalidade infantil, de tuberculose, de malária.
A crítica à violência, hoje realidade no estado, também não ficou de fora.
— O Maranhão não quer a violência como instrumento da política para banir direito dos mais sagrados que são os da pessoa humana, com a impunidade dos assassinos garantidos pelos delegados e a realidade reduzida apenas a uma oportunidade para abastardar os homens.
OGLOBO

2 comentários:

Jossara Bes disse...

Olá Dr. Iderval!
O povo brasileiro tem "um não sei o que", que não consigo entender!
As vezes penso ser uma epidemia que causa uma espécie de "cegueira, surdez"...Como diz meu querido Rolando Boldrin, "Isso me dá uma vergonha"!
Me diga doutor, esses sintomas demoram muito a passar?
Tenha uma semana muito feliz!
Beijos!

Roque Cunha disse...

Politico não é criatura de DEUS e sim de satanaz