domingo, 9 de novembro de 2014

O ENEM é mais excludente do que os Vestibulares Regionais.


                                                                         

O ENEM é mais excludente do que os Vestibulares Regionais.

O Brasil clama por igualdade, por melhores condições e isonomia na educação. Para isto elaborou diversos  projetos, dentre estes o ENEM.

PASMEM
A)SAEM DO ENEM OS ALUNOS QUE OCUPARÃO TODAS AS VAGAS DAS UNIVERSIDADES PÚBLICAS FEDERAIS BRASILEIRAS.
B)INDEPENDE DE ONDE SE FAZ O ENEM, O CLASSIFICADO ESCOLHERÁ A UNIVERSIDADE QUE DEVERÁ ESTUDAR EM QUALQUER PARTE DO PAÍS, DE NORTE A SUL.
 O ENEM É NACIONAL O ENSINO PRÉ ENEM É REGIONAL.

C)O ENEM É UNIVERSAL, NÃO CONTEMPLA A DESIGUALDADE REGIONAL E NEM EDUCACIONAL, AS LEIS SÃO LINEARES. SÃO PAULO, RIO DE JANEIRO E O RIO GRANDE DO SUL SÃO SIMILARES AO CEARÁ, AO PIAUÍ E AO ESTADO DO AMAZONAS.

D)O ALUNO RICO, O ALUNO POBRE E O ABANDONADO TÊM O MESMO PESO.
E)OS ESTABELECIMENTOS  SALESIANOS, MARISTAS, MILITARES E AS GRANDES ESCOLAS PARTICULARES TÊM O MESMO PESO DAS PIORES ESCOLAS PÚBLICAS DESTE SEGUNDO BRASIL
 Farei algumas perguntas aos caros leitores.

1-Como exigir de um aluno de baixa renda que tudo falta em casa, muitas vezes só dispõe  dos cuidados de uma parte dos genitores, uma vez que a grande maioria está totalmente à margem do processo educacional por pura desinformação institucional.
2-Como exigir de um jovem que tem na sua cidade uma escola sucateada, sem paredes, carteiras, livros, lápis, comidas e sem  professores qualificados.
3-Como pode um jovem competir de igual por igual se a formação não foi igual.
 
 ESCOLAS PARTICULARES DE EXCELÊNCIAS A COMPETIR COM ESOLAS SUCATEADAS., É FALTA DE SENSO.
4-Como pode um aluno de baixa renda e que mora num bairro periférico  ser obrigado a fazer a sua prova no outro lado da cidade, numa escola escondida ,quase rural, sujeito a todos os maus tratos, sem comida, sem transporte e sem segurança. Mora em Itapoan e faz a prova há 35 quilômetros do seu domicilio existindo escola defronte da sua casa aberta para o ENEM.
Acredito que esta manobra em vez de inclusão esta sendo a mais velada forma de exclusão social.
Pergunto:
Pode um aluno oriundo de uma péssima escola competir por vagas das  Universidades Federais com os alunos estudiosos da  classe alta e média?
Pode  um aluno do interior do Nordeste competir com os alunos das grandes metrópoles, até mesmo do nordeste?
Pode um aluno da periferia e  dos rincões competir com o aluno de bucho cheio, de boa formação, que dormiu bem, que foi levado para a escola por veículos particulares, que foi  beijado, acariciado e lambido pelos pais e familiares.
Este é o ENEM, a mais cruel forma de se entrar na Universidade Pública Federal, esta forma analisa a vida do estudante do fundamental  ao pré universidade, passam no ENEM os que tiveram esta trajetória bem feita, bem orientada e com o intuito de entrar no curso superior.
O Curso fundamental não é Federalizado, cada região ensina como pode, cada classe social se esfalfa , se esforça  à procura de melhores dias, os das classes médias e altas já entram na seleção com vantagens  e ocuparão os sonhados bancos da Cultura nas Federais.
Brasileiros , está na hora de acordar, povo do meu Brasil, será que estou vendo demais ou estou à procura de chifre em cabeça de cavalo?
Quero a sua opinião.
Iderval Reginaldo Tenório


06/12/2009 - Vídeo enviado por Leandro6715
Um dos grandes sucessos de Martinho da Vila no seu primeiro Lp de 1969 pela RCA.

  •  MATINHO DA VILA

  • 2 comentários:

    Anônimo disse...

    É assim mesmo meu caro! Muitos não estão vendo esta realidade. As universidades públicas, sobretudo as federais estão se tornando cada vez mais elitizadas na medida em que as vagas para os melhores cursos e, mesmo aqueles de menor projeção profissional, estão sendo ocupadas em sua esmagadora maioria por estudantes oriundos da rede privada de ensino. A concorrência nacional elevou o ponto de corte limitando enormemente o acesso de estudantes compreendidos no segmento pobre da população e de escola pública. O enem que deveria ser um instrumento de inclusão está se tornando cada vez mais excludente. Resta, portanto, o consolo do PROUNI que é a possibilidade de ingressar em uma faculdade ou universidade particular de qualidade duvidosa. "Nunca se viu na história deste país" a proliferação de instituições particulares de ensino superior destinadas... a quem? Aos pobres!!! Universidade pública no Brasil é para os ricos e as particulares para os pobres, isto é, se conseguir uma vaga!!!
    A quem vamos recorrer?

    IDERVAL REGINALDO TENÓRIO Tenorio disse...

    O PROUNI e o FIES surgiram para alimentar as 800mil vagas nas Escolas Particulares de qualidade duvidosa e em cursos que deveriam ser técnicos uma vez que curso universitário nada ensina de concreto, apenas aguça a sua intelectualidade e esta precisa de base , um bom primário, um bom ginasio e um curso científico gabaritado, nós não temos esta base para a população de baixa renda. O que se vê são milhares de jovens dizendo que são universitários e que continuam com o mesmo ranço do desconhecimento, na verdade os cursos existem para manter os empresários do ensino para com erário publico e para as estatistica mundial. Brasil meu Brasil varonil o amigo tem que correr.