sexta-feira, 3 de julho de 2015

A CULTURA ALFORRIOU PORTUGAL. UM POVO SÓ SE ERGUE SE VALORIZAR A SUA CULTURA, VIDE PORTUGAL E AMALIA RODRIGUES

A CULTURA ALFORRIOU PORTUGAL. UM POVO SÓ SE ERGUE SE VALORIZAR A SUA CULTURA, VIDE PORTUGAL E AMALIA RODRIGUES


O Poder das Artes.
 
De 1910 a 1950 era a Europa e o Mundo  principalmente os países próximo à França  domínio cultural desta nação , as roupas, as musicas, os perfumes, a culinária, os vinhos, enfim, tudo que se assistiam, que se ouviam e que se consumiam era oriundo , pateteado, fabricado ou autorizado pelos franceses
 
Portugal uma das menores nação do mundo, uma das mais próximas,  se encontrava em ruínas, uma vez que as suas riquezas se encontravam em baixa, depois da segunda Guerra Mundial  a coisa piorou, os políticos, os industriais, os comerciantes, os agricultores e pecuaristas compraram uma grande briga, levantar Portugal, mas foi tudo em vão, a máquina Francesa estava azeitada, era forte e dominava tudo nos mínimos detalhes, quando nada mais restava a fazer, os  artistas portugueses (músicos, pintores, atores, cozinheiros, costureiros, perfumistas,  cantores e outros  não aguentando a pressão resolveram reagir e atuar, fizeram uma campanha nacional pelo nacionalismo, abriram os teatros, os cinemas, as casas de shows, as perfumarias e  as grandes galerias.  
 
 Foi chamado um grande compositor e pediram para escrever uma pagina musical que seria cantada  pela maior estrela portuguesa de todos os tempos, a grande estrela AMALIA RODRIGUES.
 
 O compositor foi o José Galhardo(letra) e a música do grande Raul Ferrão.
 
 Em 1952 foi apresentado no Teatro Avenida  em Lisboa de portas abertas o FADO Intitulado  - Lisboa Não Sejas Francesas , foi o maior espetáculo já visto naquele país  para o mundo, ganhou as ruas, as igrejas, as escolas e as Universidades.
 
No outro dia os produtos Franceses começaram a apodrecer nas prateleiras, os perfumes jogados no lixo, roupas armazenadas, ninguém lia os livros ou escutava as suas músicas , enquanto os produtos Portugueses  em alta, tudo cheirava a Portugal, as crianças cantavam, os adultos choravam e Portugal conseguiu se levantar, a cantora Amália rodou o mundo, cantou muitas vezes em Paris.
 
Eu tinha que contar esta história, eu sabia que vocês iriam gostar e foi assim que Portugal conseguiu nos pós guerra,  mais uma vez a sua independência. 
A cultura é a maior arma de um povo, um povo que não canta, que não se encanta, que não faz o outro cantar a sua cultura, não merece ser um povo independente. 

Iderval Reginaldo Tenório
 
Lisboa Não Sejas Francesa

Amália Rodrigues

Não namores os franceses
Menina, Lisboa,
Portugal é meigo às vezes
Mas certas coisas não perdoa
Vê-te bem no espelho
Desse honrado velho
Que o seu belo exemplo atrai
Vai, segue o seu leal conselho
Não dês desgostos ao teu pai

Lisboa não sejas francesa
Com toda a certeza
Não vais ser feliz
Lisboa, que idéia daninha
Vaidosa, alfacinha,
Casar com Paris
Lisboa, tens cá namorados
Que dizem, coitados,
Com as almas na voz
Lisboa, não sejas francesa
Tu és portuguesa
Tu és só pra nós

Tens amor às lindas fardas
Menina, Lisboa,
Vê lá bem pra quem te guardas
Donzela sem recato, enjoa
Tens aí tenentes,
Bravos e valentes,
Nados e criados cá,
Vá, tenha modos mais decentes
Menina caprichosa e má
Lisboa não sejas francesa

Lisboa nao sejas francesa - Amália Rodrigues - YouTube

www.youtube.com/watch?v=6-ad1H5zj3Q

14/02/2013 - Vídeo enviado por fadistasaudade
Lyrics: Não namores os franceses Menina, Lisboa, Portugal é meigo às vezes Mas certas coisas não ...

  • Nenhum comentário: