terça-feira, 1 de setembro de 2015

Jose Aureliano o braço direito do Padre Cícero, o lado bom. Cronica do neto Maerlio Barbosa.


Nesta foto muitos que fizeram Juazeiro do Norte, no alto o José Pereira Gondim filho de seu Aureliano, na foto do meio a sua família com a sua ultima esposa e em baixo personagens que construíram Juazeiro do Norte- A primeira é a professora Assunção Gonçalves, a segunda é a guerreira Antonia Reginaldo , minha mãe, o sexto é o meu cunhado  Dr Odílio Camilo, um dos maiores médicos deste país, o décimo quarto, o segundo da ultima linha um dos maiores homens deste país, o meu pai José Miguel da Silva, nesta galeria estão homens que fizeram e fazem a história do Juazeiro do Norte.

 
 
O SEU AURELIANO FOI E CONTINUA SENDO UM DOS HOMENS MAIS IMPORTANTES DE JUAZEIRO DO NORTE- CONTINUA VIVO NO SACERDOCIO COM O SEU NETO PADRE AURELIANO, NO SEU FILHO HISTORADOR  JOSÉ GONDIM ,O HOMEM QUE LUTA PELA BEATIFICAÇÃO DO PADRE CÍCERO , NA PELE DOS NETOS POR ESTE BRASIL AFORA E NA LEMBRANÇA DE TODOS OS JUAZEIRENSES QUE SABE O VALOR DOS HOMENS QUE CRIARAM A MECA DO  CARIRI.
JOSÉ AURELIANO É GENTE DA GENTE
Iderval Reginaldo Tenório
Maerlio BarbosaTÚNEL DO TEMPO
8 hEditado

MEU AVÔ
Coroné Aureliano
É a quarta mulé que mata
Parece inté que ele bota...
É veneno na chibata

Hoje meu avô completa 127 anos. Desencarnou ainda na década de 70, mas continua vivo na lembranças daqueles que tiveram a honra de conhece-lo em vida.
Convivi apenas 10 anos com ele, mas foram anos de intenso aprendizado. Conheci sua história, entendi seu jeito de ser e percebi que estava ao lado de um grande homem. Muitos da família preferem cultuar apenas seu lado beato e romeiro, e sua condição de amigo e compadre do Pe. Cícero. Já eu, prefiro vê-lo por inteiro, cheio de virtudes, defeitos e gaiatices. Não consigo lembrar o bom e honesto homem que foi sem também lembrar o moleque que habitava seu espírito.
Vivia a fazer piadas e criar situações embaraçosas para os outros. Troçava de tudo e de todos. Despertava sentimentos que iam da raiva à admiração incondicional. Era justo, trabalhador, arrojado e inovador. Houve época em que a maioria das casas de Juazeiro lhe pertenciam. Construiu para atender a demanda dos romeiros que aumentava todos os anos.
Tinha muita raiva de bancos e dizia que não ia deixar ladrão tomar conta do seu dinheiro, preferindo guardá-lo no grande cofre que mantinha em sua bodega. Suas prateleiras estavam sempre cheias de todo tipo de mercadoria. Comprava tudo em carga fechada e só pagava à vista e em espécie. Foi um grande trabalhador e idealizador da nova Juazeiro. Não assinava documento para seu ninguém. Sua palavra bastava. Vivia como gostava e fazia o que queria sem pedir opinião ou dar satisfação a ninguém.
Eu adorava andar com ele pelas ruas da cidade e embarcar em suas loucuras. Com ele era assim: se tinha vontade de gritar, gritava; de pular, pulava; de cantar, cantava; de xingar, xingava e pronto – e eu junto fazendo coro. Meus tios e tias detestavam andar com ele. Diziam que passavam vergonha. Vai ver era a forma de expressão do tal mico de hoje. Como eu nunca fui de ligar para as convenções...
Teve 36 filhos que cresceram bem alimentados, fortes e desunidos. Era pão duro desses que nunca dava um tostão pra ninguém, mas também não tomava. Talvez eu tenha sido uma das poucas pessoas a quem ele presenteava com uma graninha de vez em quando. Quando isso acontecia tinha festa lá em casa, pois era um acontecimento que merecia comemoração. Na intimidade, todo aquele jeito e panca de durão caía. Se por acaso um neto ficava doente, ele nem ia trabalhar. Chamava o médico, comprava um monte de coisas que sabe que toda criança gosta e ficava o tempo todo choramingando ao seu lado.
Amei meu avô e sou muito fiel à imagem que construí dele, e ainda hoje o tenho como uma das grandes referências de minha vida.
Parabéns, vovô.
Padre Cícero mandou alguns bilhetinhos pedindo dinheiro emprestado ao meu avô. Pelo que eu saiba, nenhum foi pago. Gostaria muito de saber o que meu avô disse ao padre quando se encontraram lá em cima..

 ESCUTEM DE JOÃO SILVA NA VOZ DE LUIZ GONZAGA- MAIS UM HINO DO JUAZEIRO.

Luiz Gonzaga e Benito di Paula - Viva meu padim (João ...

www.youtube.com/watch?v=nBgyB6Jb2_Y
20 de mai de 2011 - Vídeo enviado por vitrolanoberro
Luiz Gonzaga - Disco "Forró de cabo a rabo" (1986) "Viva meu padim". Participação: Benito di Paula.

Juazeiro do Norte - Luiz Gonzaga - Viva meu padim com ...

www.youtube.com/watch?v=Xri-xELA-Pg
14 de out de 2012 - Vídeo enviado por Júlio Popó
Minha homenagem a colina do Horto em Juazeiro do Norte, um lugar que desde a primeira vez em que ...

Nenhum comentário: