terça-feira, 1 de agosto de 2017

EDITORIAL DO DOMINGO Um animal doméstico na sua vida. Adote um animal para chamar de seu




Resultado de imagem para caes domesticos
Resultado de imagem para caes domesticos


EDITORIAL DO DOMINGO

Um animal doméstico na sua vida.
Adote um animal para chamar de seu.




Muitos são os trabalhos científicos que mostram a importância dos animais domésticos no convívio familiar, tanto no tocante à terapia individual e coletiva , no diálogo entre os seus componentes, no solitarismo peculiar ao esvaziamento atual dos lares, da necessidade humana  de possuir um  subalterno para mandar, que é uma das propriedades do ser humano, exercer o poder e chefiar algo,  ou por mera companhia, isto  devido o encurtamento e isolamento das famílias.


Um cão, um gato, um papagaio ou qualquer outro animal guarda uma estreita relação de afinidade , chegando muitas vezes em determinadas  famílias a ser confundida com laços consangüíneos, uma vez que os animais são dóceis, amáveis, obedientes e apaixonantes, consomem e ocupam milhares de lacunas dos humanos, são verdadeiras tentações.


A cabeça de um animal está aberta para receber todas as informações a serem posteriormente praticadas pelo mesmo.

 O contato físico, o tom da voz, os atos dos humanos que ele convive, os costumes e as reações psíquicas são captadas pelo animal devido os odores hormonais liberados em cada situação, não é preciso enfatizar que o  olfato canino é mais de cem vezes mais eficiente do que o do humano, isso faz com que esta espécie decifre se os humanos estão alegres, tristes, perturbados ou até agressivos, esta é uma das propriedades que faz com que um cão tome afinidade ou ojeriza pelos seus donos, muitas vezes os desconhecem quando estão sob o efeito de outras drogas como a cocaína, a maconha, o álcool e outros odores que suplantem os originais, muitas vezes tirando as suas vidas, vale lembrar que , se nos primeiros contatos o cão registrar a presença destes produtos nos seus proprietários, eles passam  a fazer parte do seu portfólio original e o animal  não os estranharão.


O que não se defende neste relacionamento é o entrelaçamento familiar humanizando os animais, há que se entender que todas as espécies possuem propriedades e costumes  peculiares e particulares inclusive com relação às zoonoses, múltiplas são as doenças que se cruzam entre as espécies. 

Não é salutar e nem de bom alvitre o beijo, o cheiro meloso e nem o compartilhamento da cama, do sofá,  dos utensílios domésticos e nem dos alimentos, pois o ato do animal precisar de se locomover, de andar por vias  públicas é condição mais do que suficiente para  carrear nas patas, nos pelos, no anus e no focinho diversos elementos vivos para o convívio dos humanos, promovendo doenças causadas por vírus,  vermes, bactérias, fungos e outros saprófitos. 


Fato também de grande relevância é o custo para manter um animal com responsabilidade plena, vacinas, comidas adequadas, isolamento digno com um bom espaço apropriado, vestuário e entretenimento, se uma família é abonada economicamente não existe óbice, caso contrário merece uma reflexão e procure priorizar os seus esforços nesta adoção e opte pela razão, elegendo o melhor animal de estimação para ser adotado, o cérebro dos seus componentes, principalmente o dos jovens, esta massa encefálica precisa  de cuidados diversos  diuturnos, necessita de comida como proteínas, gorduras , açúcares e vitaminas, é sedento por saberes, escolas, cursos, livros, debates, diálogos, passeios, viagens e por entretenimentos , é um animal de vida longa, dócil , inteligente e contribui para o bem da humanidade, em vez de se gastar os parcos recursos com um animal doméstico, adote o seu próprio cérebro priorizando como o seu nobre e primeiro animal de estimação, depois de bem posicionado socialmente, abonado economicamente adote vários outros animais.


É importante lembrar que todo mundo tem o direito e até mesmo a necessidade de possuir um animal de estimação, desde que seja criado  como um animal , isto é, sem agredir e respeitando a sua irracionalidade,uUm cão de guarda, um ajudante de vaqueiro, um farejador, um policial, um cão amigo do pescador, do caçador,  do mendigo, um amigo da casa e da família desde quando não seja literalmente humanizado. 

Adote um animal, porém não esqueça que você já possui um , o seu próprio cérebro e ele  precisa de sua ajuda, é o cérebro o seu maior e mais importante amigo.


Encerro com o seguinte pensamento, em vez de gastar na compra de ração, remédios, tosas, roupas, coleiras, veterinários, ossos artificiais, brinquedos e etc , etc,  o humano em formação, o humano de baixa renda não deve  se deixar enganar  por propagandas falsas oficiais e chamativas  para se criar um animal, nesta fase da vida, nesta etapa de formação educacional ,  o maior investimento de tempo e da economia é no próprio ser humano, gaste alimentando o seu principal e único amigo, o seu cérebro, o seu primeiro animal de estimação, quando  ascender na escala social adote os demais é o que vaticina este mortal.


À proporção que uma sociedade cresce sociologicamente  , as barreiras e os fossos entre as espécies tendem a se estreitarem  ou sumirem, todos serão humanizados e julgados nos mesmos fóruns, nas mesmas leis e direitos, será o  fim de uma civilização e o surgimento de outra, o tempo passa, a terra continuará sublime na sua trajetória e novos conceitos passarão a reinar entre os seus habitantes.


Lugar de cérebro é na cabeça , sempre a contribuir para o bem da humanidade, lugar de animal doméstico de estimação é no quintal no seu ambiente próprio e bem cuidado, quando o animal passa a ser membro afetivo da familia, quando passa a ser uma  terapia, quando um animal se encaixa numa familia como o elo entre todos os seus membros cuidem com carinho, respeito e muito amor, tenha certeza que este ser vivo tem você como um deus, um ser supremo,  um amigo e o seu maior parceiro e companhia, o animal merece respeito.   
Adote de imediato o seu Cérebro e seja feliz.

Iderval Reginaldo Tenório
 

Vejam o que disse 
Como disse o Ex ministro do Collor de Mello ao levar a sua cadela numa ambulanica para um hospital em Brasilia.
"Minha cadela também é humana" 
  Rogério Magri -
 O ministro estava com a  razão, hoje ninguem lhe tiraria a sua razão.


Iderval Reginaldo Tenório
Antônio Rogério Magri (Guarulhos, 26 de outubro de 1940) é um ex-sindicalista brasileiro. Foi ministro do Trabalho durante o governo Fernando Collor de Mello.

Carreira política

Entrou para a política através do sindicalismo, tendo sido presidente do Sindicato dos Eletricitários de 1978 a 1990. Em maio de 1989 foi eleito presidente da Central Geral dos Trabalhadores (CGT). A posição de destaque numa importante entidade sindical e seu apoio pessoal a Collor fizeram com que, após a vitória eleitoral deste último, fosse chamado a compor a lista de ministros do novo governo. Mais tarde, envolvido nas acusações de corrupção em que foi flagrado confessando ter recebido 30 mil dolares de propina e as que atingiram todo o entorno de Collor, foi demitido em janeiro de 1992, afastando-se definitivamente da política e do sindicalismo atuante.[1]
É associado a um neologismo da década de 1990, quando respondeu a um repórter que questionara se o salário também seria reduzido, dizendo: "O salário do trabalhador é imexível" (sic).[1]

Belchior - Populus - YouTube


www.youtube.com/watch?v=RWOOxFEnOR4
2 de out de 2010 - Vídeo enviado por Alfredo Pessoa
Belchior - Populus. Alfredo Pessoa ... Comprarei um bulldog inglês e irei homenagear Belchior dando ...


Belchior - Populus - YouTube

www.youtube.com/watch?v=dBjb69knkm4
5 de jun de 2014 - Vídeo enviado por mariag52
Música composta por Belchior em 1977. Populus continua vivo, só mudaram seus donos. Viva Belchior!!
 

Nenhum comentário: