segunda-feira, 9 de novembro de 2015

O JOCA NÃO É MAIS O JOQUINHA-

 
O JOCA CRESCEU E COMPREENDEU O MUNDO


                                  O JOCA CRESCEU E COMPREENDEU O MUNDO
       Nascido de uma família de baixa renda, o Joca não aceitava o tipo de vida que levava, não compreendia a diferença entre as classes sociais, cresceu ouvindo que Deus era o pai de toda a humanidade e não entendia o porquê  de só passar fome e sofrimentos financeiros os pobres, aliás , não engolia a idéia de tanta diferença entre as pessoas no tocante as dificuldades da vida, se Deus era o pai de todos porque alguns tinham escolas, casas, hospitais, roupas e outros predicados? na sua voadora cabeça estes fatos não encontravam paradeiros, não estavam ao alcance de seu pensamento, o pai tem que olhar para todos os filhos sem diferenciação, era este o padrão que  Joca possuía na sua cachola cerebral.
      O Joca chegava em casa e não encontrava os utensílios domésticos que existiam na casa do patrão do seu pai , nas casas dos homens ricos, não entendia porque teria que dormir em cima de um girau, enquanto o filho do pai do seu patrão dormia numa cama alta, cheirosa e fofa, como explicar se Deus é o pai de todos? Será que Deus gosta mais de um filho do que do outro? Será que ele só gosta dos ricos? Será? A cabeça do Joca vivia em eterna pavorosa e voçoroca.
       O Menino cresceu e virou homem, passou a entender o teorema, a engrenagem, o ninho de serpente, passou a enxergar que existiam as classes sociais desde o surgimento da humanidade  e que as oligarquias, os dominantes, os poderosos  faziam e fazem de tudo para que cada indivíduo se perpetue na sua clausura social, preso, fechado e blindado como um compressor de ar refrigerado, o  moço passou a entender que para pular, para sair de uma classe  para outra e melhorar de vida, o indivíduo teria e tem que ser ousado e ir de encontro aos ditames das oligarquias, passou a entender que o sujeito não pode baixar a cabeça , não deve rezar na cartilha da subserviência e  sempre dizer amém numa ladainha decorada e conformativa, o sujeito tem que desobedecer e insistir contra os pensamentos dominantes das castas superiores.
       O Joca entendeu que o sujeito para sair do fosso, tem que fazer uso das ferramentas que as castas superiores  utilizam, tem que estudar, se esforçar, não cair nas tentações impostas pelos dominantes como o oferecimento crônico e eterno de pão e circo, como se a vida fosse apenas entretenimento e bucho cheio, o Joca botou na cabeça que,  apesar de existir uma carta nacional chamada Constituição Federal,   só lutando, brigando, exigindo, cobrando, se esforçando, se dedicando e correndo  é que conseguirá subir na escala social e sair da caixa dura e blindada que nasceu. Compreendeu que o único e melhor caminho é no aproveitamento escolar.

O Joca entendeu que até os 18 anos tem que dedicar todos os esforços no aprendizado para um bom futuro na vida, o aprendizado de uma profissão, de uma atividade esportiva ou artística, tudo com a tutela da Escola, sem estes predicados continuará eternamente na base da pirâmide social sempre fazendo força e sendo esmagado pelas demais, continuará na famigerada renda baixa, viverá sem pensamentos próprios, sem auto-estema, sobreviverá de ajudas, das malditas ajudas sociais.
       O Joca acordou em tempo, venceu todas as barreiras e pede que todos os outros Jocas também lutem e acordem, sigam o seu exemplo. A caixa é preta, tem paredes  grossas, é quente , porém, existe uma saída, é estreita , é longa, é dolorosa,  mas existe.
       Viva o meu amigo Joca e que os outros sigam o seu caminho, basta força , coragem e resiliência. Basta ser mais um JOCA.

Iderval Reginaldo Tenório


Luiz Gonzaga e Gonzaguinha - A Triste Partida - YouTube


www.youtube.com/watch?v=K5cFx5r9KOk
19 de set de 2010 - Vídeo enviado por Alfredo Pessoa
Luiz Gonzaga e Gonzaguinha - A Triste Partida ... A música desse homem está marcada a ferro e fogo na

Nenhum comentário: